sexta-feira, 14 de novembro de 2008


Então, depois de tanto tempo sem vir aqui, embora com muitas saudades, estou de volta, pelo menos por enquanto (:
Neste tempo que fiquei sem postar, muitas coisas aconteceram, aliás muitas mesmo. Conversando com um amigo, novo diga-se de passagem, estavamos refletindo sobre como esse ano foi intenso para nós e isso que ainda não terminou. Não vi 2008 passar como nos outros anos, mas sem dúvida nenhuma foi o ano em que mais aconteceram coisas e o que mais vivi de verdade.
Desde que entrei na universidade, e isso foi no meio do ano, a cada dia foi uma experiência nova, amigos novos, pessoas que pareceram jogadas pelo destino na minha vida, amigos que tenho certeza que vou levar por muitos anos, quase morri um milhão de vezes, fiquei bebada, quase atropelamos o museu nacional, caminhos percorridos em cinco minutos, happy hours bem happy, até estrela cadente nós vimos (; entre outras coisas.
Bom mas é isso, em meio tom de despedida de fim de ano, saio com a sensação de que vivi e muito bem esse ano, e que os próximos sejam mais intensos ainda.

:)

sábado, 19 de julho de 2008

obs:o print tá um pouco ruim, mas é de coração.



CAAAAAAAAAAARAAAAAALHOOOO
Passseeeeeeeeeeeeei, passssseiii, passsei porra!!!!

Foi assim, dia 15 de julho de 2008 exatamente às 17h00.
xD

Gente consegui ^^, finalmente, agora estou anciosa pelas aulas e por conehcer os veteranos ahuaaha

Beijooos e obrigada a todos pela força.

terça-feira, 15 de julho de 2008


"Tudo bem, até pode serque os dragões sejam moinhos de vento"
[Engenheiros do Hawaii]

Mas que puxa!
Que mês difícil...
Que ano difícil....
Eu sumi eu sei... Alguns acontecimentos me deixaram sem cabeça pra essas coisas...
Perdi alguém muito querida... e nunca tinha acontecido assim tão próximo...

Ontem fiquei de palhaça desde as 4h00 da tarde na frente do pc, tremendo até os cabelos da cabeça, esperando um resultado que foi adiado pra hj... dá pra calcular como eu tô...
Nunca algo tinha mexido tanto comigo assim... acho que a última vez foi muito traumático. É muito estranho e as pessoas não entendem... quase todas não entendem.
O cúmulo de acharem que é exagero meu, mas não é... já faz um ano e meio, e se não for dessa vez serão dois anos, as pessoas já estão trabalhando, se formando e eu aqui, isso dá uma sensação de incapacidade tão grande, uma sensação de burrice mesmo, e pior... o difícil é aguentar a desdém das pessoas, amigos mesmo, quando te perguntam o que você está fazendo? Você sumiu! E quando você responde todos fazem a mesma cara de: nossa ela nem tem chance, não passou até agora, coitada (mania de perseguição mode:on). Mas falando sério, é complicado demais, é inevitável, só existem duas possibilidades: você olha o resultado e seu nome está lá: Ai são gritos, telefonemas, muita comemoração, você pode dizer que faz algo, férias, acabou vida de cursinho, oportunidade de um estágio melhor, orgulho dos pais e muito mais. A outra possibilidade: você olha o resultado e seu nome não está lá: passam na sua frente, no meu caso, um ano e meio + seis próximos meses, sem férias, sem telefonemas, e quando os tem são aquelas pessoas que nem te conhecem perguntando: Fulano procurei seu nome e não achei, você não passou DE NOVO? [uauhauhha], mais seis meses sem sair, sem ver os amigos, sem durmir, e por ai vai.

Bom, então é isso.

sábado, 28 de junho de 2008

Então, hoje estou postando uma música do novo CD do Teatro Mágico: 2° Ato.
Muito bom por sinal, já escutei o cd muitas vezes e dentre as músicas de maior critica estão: os inseto interiores e xanéu n° 5.
Eu sei que a letra é um pouco grande, na verdade não é uma música, é uma declamação do Fernando Anitelli, mas vale a pena ler e vale mais a pena ainda escutar.
Beijos.


Os Insetos Interiores

Notas de um observador:
Existem milhões de insetos almáticos.
Alguns rastejam, outros poucos correm.
A maioria prefere não se mexer.
Grandes e pequenos.
Redondos e triangulares,
de qualquer forma são todos quadrados.
Ovários, oriundos de variadas raízes radicais.
Ramificações da célula rainha.
Desprovidos de asas,
não voam nem nadam.
Possuem vida, mas não sabem.
Duvidam do corpo,
queimam seus filmes e suas floras.
Para eles, tudo é capaz de ser impossível.
Alimentam-se de nós, nossa paz e ciência.
Regurgitam assuntos e sintomas.
Avoam e bebericam sobre as fezes.
Descansam sobre a carniça,
repousam-se no lodo,
lactobacilos vomitados sonhando espermatozóides que não são.
Assim são os insetos interiores.
A futilidade encarrega se de “mais tralos’.
São inóspitos, nocivos, poluentes.
Abusam da própria miséria intelectual,
das mazelas vizinhas, do câncer e da raiva alheia.
O veneno se refugia no espelho do armário.
Antes do sono, o beijo de boa noite.
Antes da insônia, a benção.
Arriscam a partilha do tecido que nunca se dissipa.
A família.
São soníferos, chagas sem curas.
Não reproduzem, são inférteis, infiéis, “infértebrados”.
Arrancam as cabeças de suas fêmeas,
Cortam os troncos,
Urinam nos rios e nas somas dos desagravos, greves e desapegos.
Esquecem-se de si.
Pontuam-se
A cria que se crie, a dona que se dane.
Os insetos interiores proliferam-se assim:
Na morte e na merda.
Seus sintomas?
Um calor gélido e ansiado na boca do estômago.
Uma sensação de: o que é mesmo que se passa?
Um certo estado de humilhação conformada o que parece bem vindo e quisto.
É mais fácil aturar a tristeza generalizada
Que romper com as correntes de preguiça e mal dizer.
Silenciam-se no holocausto da subserviência
O organismo não se anima mais.
E assim, animais ou menos assim,
Descompromissados com o próprio rumo.
Desprovidos de caráter e coragem,
Desatentos ao próprio tesouro...caem.
Desacordam todos os dias, não mensuram suas perdas e imposturas.
Não almejam, não alma, já não mais amor.
Assim são os insetos interiores.

quinta-feira, 19 de junho de 2008


Meme que eu recebi de O pequeno diabo

Oito coisas que gostaria de fazer antes de morrer...

1. Bom acho que primeiro, nem por ser mais importante, mas pelo momento em que eu estou acho que seria passar no vestibular, (ahuauhaaua). Isso soa meio desesperador né, mas sei lá, é assim mesmo.

2. Com certeza uma coisa que eu quero fazer antes de morrer é conhecer no mínimo metade do globo!! Isso é sonho desde pequena, sempre que eu ia brincar com a minha barbie dificilmente ela ficava dentro da casinha que eu levava hooooras montando em qualquer lugar da casa. Ela sempre saía de férias para alguma ilha magnífica ( leia-se o tanque de lavar roupa), ou para uma floresta escura e perigosa ( leia-se o mini-jardim da minha casa).

3. Ahhh que menina nunca quis viver um amor estilo os romances teens americanos. uaauhahaha, não isso não é ridículo. Só que menos meloso, mas um mais ou menos como se fosse a primeira vez ou a tudo que uma garota quer ou dez coisas que eu odeio em você. Eu gostaria.

4. Morar sozinha com as amigas, perto de um bar, um mercado, um hospital e uma igreja.
(;

5. Conhecer uma pessoa e ter pelo menos um melhor amigo em cada lugarzinho da face da terra.

6. Beber loucamente por um motivo muito feliz, dançar, rir, chorar, chorar de rir, e acordar numa baita ressaca na casa de um desconhecido e, como em filme, se apaixonar por ele. (viagem :D)

7. Ler todooos os livros e ver todoooos os filmes do mundo.

8. E finalmente, retribuir tudo que meus pais e meus amigos já fizeram por mim até hoje. ( Será que é possível?).


Eu repasso o meme para:


Bom só pra justificar a imagem acima. É assim mesmo: ansiedade! Um dos muitos males dos homens e estou sofrendo dele, cronicamente.

sexta-feira, 13 de junho de 2008


Chegou!




Espero que seja dessa vez.
Amém.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Me lembro.


Me lembro de quando passavamos hoooras, eu e meus primos, procurando uma joaninha no canteiro da casa da vovó, quando achavamos uma, o que faziamos?Arrancavamos as suas asas! Não... não eramos ruins, eramos crianças e a única coisa que importava era ter uma joaninha para brincar.
Pois é... e hoje sou aspirante à bióloga!

terça-feira, 20 de maio de 2008

O ímpar


Pois é... abondono total do blog esses dias. Infelizmente.
Não aconteceu muita coisa nova esses dias, só meus pensamentos, quando não consigo estudar no ônibus por qualquer motivo que seja, que se sentem livres e até eu me impressiono com o que eu imagino... é engraçado quando me destraio muito tempo penssando assim e chego a coisas inimagináveis por qualquer pessoa normal eu paro, olho para todos os lados, escolho uma pessoa com cara de suspeito, de sério, cético, que por acaso, também "está longe" e penso: eita! mas e se ele podesse ler meus pensamentos? e se ele conseguiu captar o que eu imaginei agora? Aí caio na vidinha normal onde as pessoas não podem fazer essas coisas, encosto a cabeça no vidro e volto a me deliciar nos meus pensamentos, principalmente naqueles em que eu crio minha história.

Acho que eu tô ficando obcecada por ônibus, esse já deve ser o terceiro post seguido em que o assunto gira em torno disso ( ahauauha ), tudo bem! Mas só para deixar claro uma coisa que eu percebi: essa coisa de quem não bebe não tem história para contar... isso é passado. O negócio agora é: quem não anda de ônibus não tem história para contar. ( ahuahauahuaha). Eu poderia passar hoooras aqui falando disso, até pq me divirto com essas coisas mas o tempo não me permite e acho também que ninguém iria gostar de ficar lendo isso, mas só para deixar registrado ^^ : Hoje descobri no ônibus, conversando com uma mulher que talvez nunca mais encontre, que posso entrar no zoo aqui da cidade de graça apresentando minha carteirinha de cursanda de biologia, isso é legal... então... biólogos de Brasília não sei se isso é verdade mas vamos lá confirmar??? aahuahaa

Depois do vestibular irei... se até lá não desistir da minha profissão claro. E também não posso me dar ao luxo de uma aula de campo autônoma em pleno pré - pré - pré vestibular.

Então... é assim...
Beijoooos a todos e obrigada pelos comentários do post anterior.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Sem título.


Pois é... eu achava que estava sem tempo. Mas agora? Agora nem sei o que é respirar! Estou enlouquecendo literalmente. Vocês sabem o que é dormir duas horas por noite ou por dia? Eu estou acordada (ou parcialmente acordada por meios nem tão saudavéis assim) 22 horas do dia.
O pior é que não vejo saída disso por pelo menos nos três meses seguintes. Eu tento fazer as coisas ficarem bem, tento fingir que está tudo bem, mas a verdade é que eu to com vontade de jogar tudo pra cima e viver mediocremente sustentada pelos meus pais até eu conseguir casar e daí viver mediocremente sustenda pelo futuro marido, que também não será lá um exemplo de homem.
Então... mudando de assunto, mas nem tanto, daqui alguns dias completarei anos, isso mesmo, ficarei mais velha e isso pesa muito sobre minhas costas apesar de soar absurdo.
Aos quinze anos de idade eu "imaginava" que com dezoito anos eu estaria com um carro (ou pelo menos a carteira) nas mãos, estaria fazendo a faculdade que gosto, trabalhando no que gosto, em um ambiente legal, teria como sair com meus amigos e inumeras outras coisas dentre elas uma viagem quem sabe?
Mas agora me vejo com quase dezenove anos completos e não tenho nada do que eu planejei ter aos dezoito. Não tenho carteira de motorista, pois o dinheiro foi usado para mais um cursinho, não estou na faculdade em que sonhei, não estou trabalhando, e a única viagem é a de 1:30 hr que faço todos os dias até onde faço um de meus cursos, sem falar nos outros três.

Isso soa melancólico ou como diria uma amiga minha: melodramático demais.
Bom é isso...pelo menos por enquanto.. até daqui a alguns dias quando "fugirei" tirando alguns minutos das minhas duas horas de sono para vir aqui.

Beijos.

Só pra constar: música de Cartola cantada por Cazuza, se não me engano já a postei aqui, se sim relembrem, se não apreciem.

O Mundo é Um Moinho
(Cartola)

Ainda é cedo amor.
Mal começaste a conhecer a vida.
Já anuncias a hora da partida.
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar.
Presta atenção querida, embora eu saiba que estas resolvida.
Em cada esquina cai um pouco a tua vida.
Em pouco tempo não serás mais o que és.
Ouça-me bem amor.
Preste atenção, o mundo é um moinho.
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos.
Vai reduzir as ilusões a pó.
Preste atenção querida.
Em cada amor tu herdarás só o cinismo.
Quando notares estás à beira do abismo.
Abismo que cavastes com teus pés.

domingo, 27 de abril de 2008

Transfiguração


A paixão é um mar
Parabólica
Dilatada
Estrada que dói
Encanto de flor
Labirinto
Espera de redes
Parece toda raiz
Só raiz
Quando não canto o trovão
Transfiguração
Com a sua pele sagrada
A sua boca sagrada
E a sua vida no chão
Volta que esse mundo só precisa de você
Volta outro homem nunca assim vai te chamar
Não fique ai enterrada
Não fique ai enterrada
Vem pra rua



Cara o Lirinha pra mim é um exemplo de homem com H maiúsculo.
Em 1997 um grupo teatral voltou a atenção para a cidade de Arcoverde. Nascia o espetáculo Cordel do Fogo Encantado, basicamente de poesia onde a música ocuparia um espaço de ligação entre essa poesia. Começou em um ambiente de Teatro e as pessoas envolvidas eram relacionadas ao teatro. Na formação, José Paes de Lira, Clayton Barros e Emerson Calado. Por dois anos, o espetáculo, sucesso de público, percorreu o interior do estado.
O que eu mais gosto nas músicas do cordel é que eles retratam a realidade, a história do nordeste mas não com dó, com sofrimento, mas com poesia, com garra e não só o nordeste mas o ser humano.
Os shows são ótimos, já tive oportunidade de ir em dois, são cheios de interpretação e emoção, eles não fazem um simples playback pra ganhar dinheiro, mas cantam com a intenção de transmitir a idéia deles.


[Seção indique um artista]

Como estou sem tempo para por aqui o que se passa comigo estou colocando músicas, que resumem o que sinto e melhor talvez.


p.s.: agradeçoooo os selos que ganhei de uma minininha muito especial e mando eles para outra tão especial quanto... minha primitcha Ádlla.

sábado, 26 de abril de 2008


"O charme sedutor do cantor francês Serge Gainsbourg, a descrição dos sentimentos femininos por Chico Buarque e a sensualidade dos desenhos do brasileiro Carlos Zéfiro e do italiano Milo Manara já serviram de inspiração para muita gente.

Mas essas referências nunca haviam sido reunidas e transformadas em música, o que acontece agora com “Na Confraria das Sedutoras”, disco do 3namassa, projeto paralelo formado pelo programador Rica Amabis, do núcleo Instituto, e pelo baixista Dengue e pelo baterista e percussionista Pupillo, ambos da Nação Zumbi.

O trio convidou compositores amigos para escreverem canções sob o ponto de vista feminino, lição ensinada pelo mestre Chico Buarque. Depois, escalou um time inquestionável de cantoras e atrizes da nova geração para darem alma, coração e voz às composições. "





[Gazeta online]



Tô organizando minha vida, mas enquanto isso conheci esse som ai, e podem baixar é muito bom, recomendo.
p.s.: escutem a música de nome "estrondo" =]


Beijos a todos.

domingo, 20 de abril de 2008


As mudanças ocorrem sem que percebamos, uma chuva, um raio de sol, uma palavra dita na hora errada, podem mudar as coisas de um modo tão repentino, que o que parecia ruim agora se torna insuportável. Uma vez li em algum lugar, não me lembro se foi Machado ou Cecilia, que devemos nos guardar no silêncio, devemos medir o que vamos falar não para não machucar os outros mas para não nos machucarmos.


Me machuquei.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

"Tempo tempo mano velho"


Pois é, exatos 10 dias sem postar aqui, entre uma correria e outra eu passo aqui dou uma olhadinha nos comentários e vou embora. Minha rotina, se é que pode se chamar isso de uma rotina está cada vez mais intensa, brutal, realmente punk. [¬¬]

Acordo às 5:15 da manhã-escova-de-dentes-café-correr-parada-ônibus-lotado-por-uma hora-cursinho-física-matemática-literatura-história-café-guaraná-em-pó-almoço [nas profundezas de um prédio conhecido popularmente como ratão]-monitoria-livros-contas-calculadora-café-ônibus-lotado-faculdade-jaleco-plantas-professor-insurpotável-café-van, em casa por volta de 12:00 p.m. tão moida, triturada que mal consigo durmir.

Assim eu vou levando a vida e a vida me levando, nos embalos de ônibus lotados e sonhos com algo melhor.

Graças a Deus ao menos tenho meu mp3 de péssima qualidade e pilha viciada para me distrair, o que seria de mim se não fosse a nossa querida música, entre Cazuza, engenheiros, chico, cartola, céu, pato fu, los hermanos, teatro mágico e tudo q caiba naquele aparelho eu vou voltando a ter paz, distraindo e esquecendo dessas coisas...

E para finalizar uma música que diz bem o q eu penso, apesar de tudo isso me orhulho disso tudo que eu to fazendo e que mesmo sendo tão sofrido e abrindo mão das coisas que eu gosto, um dia eu vou ter uma bela história pra contar pros meus filhos, vou lhes dizer que o sofrimento, a luta e as aventuras são os temperos que deixam a vida muuuuito mais saborosa! ;)
"Seria mais fácil fazer como todo mundo faz
o caminho mais curto, produto que rende mais
seria mais fácil fazer como todo mundo faz
um tiro certeiro, modelo que vende mais

Mas nós dançamos no silêncio
choramos no carnaval
não vemos graça nas gracinhas da TV
morremos de rir no horário eleitoral

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz
sem sair do sofá, deixar a Ferrari pra trás
seria mais fácil como todo mundo faz
o milésimo gol sentado na mesa de um bar

Mas nós vibramos em outra freqüência
sabemos que não é bem assim
se fosse fácil achar o caminho das pedras
tantas pedras no caminho não seria ruim

Mas nós vibramos em outra freqüência
sabemos que não é bem assim
se fosse fácil achar o caminho das pedras
tantas pedras no caminho não seria ruim

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz"
[Engenheiros do Hawaii-Outras Frequências]

domingo, 6 de abril de 2008


Como pode a vida de uma pessoa se tornar tão invisível, tão submissa ao ponto de tudo irritar, tudo se tornar um tédio. São os acontecimentos que nos marcam pra melhor ou pra pior (no meu caso geralmente pra pior). Estou com quatro cursos puxados durante todos os dias, não tenho nem cinco minutos pra fazer as coisas que eu realmente gosto, não tenho tempo de ver nem meus pais direito quiçá meus amigos. Cada dia parece voar quando vejo datas, mas parece uma eternidade quando penso que isso tudo tá longe de acabar. Tudo isso pra ser decidido em um dia, uma tarde, cinco horas que vão determinar se eu vou continuar nessa vida frustrada, de-novo-novamente-mais-uma-vez perdida, sem reação ou se eu vou ser uma nova pessoa, com novos ideais, novos sonhos, novos amigos (e tempo para os velhos), tudo novo...
Meu pai disse que nada na vida vem fácil, exceto pra filho de político, minha mãe disse que eu sou forte e que eu vou conseguir.
Enquanto isso eu venho aqui me lamentar nesse blog... enquanto as coisas teimão em não se encaixar, e o mundo continua assim de cabeça pra baixo.

terça-feira, 1 de abril de 2008


Figura autoexplicativa.
Sentimento de inutilidade, de vazio, de descrença.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Cartola.





Cazuza - O Mundo é Um Moinho
[Cartola]



Ainda é cedo amor.
Mal começaste a conhecer a vida.
Já anuncias a hora da partida.
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar.
Presta atenção querida, embora eu saiba que estas
resolvida.
Em cada esquina cai um pouco a tua vida.
Em pouco tempo não serás mais o que és.
Ouça-me bem amor.
Preste atenção, o mundo é um moinho.
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos.
Vai reduzir as ilusões a pó.
Preste atenção querida.
Em cada amor tu herdarás só o cinismo.
Quando notares estás à beira do abismo.
Abismo que cavastes com teus pés.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Paixões relativas.


"A única diferença entre um capricho e uma paixão eterna

é que o capricho dura um pouco mais..."


[Oscar Wilde]


Estava pensando esses dias como as coisas são "tão pra sempre hoje em dia", mas que esse pra sempre dura apenas um ano, um mês, um dia, um minuto, quem sabe até um segundo.

O mundo anda tão rápido, as pessoas não tem mais tempo de se conhecerem, de terem uma boa conversa, de perder tempo fazendo algo que lhes dão prazer.

Tudo é tão efêmero, tão...tão sem sentido.

Acho as vezes que eu parei no tempo, em um tempo que eu nem vivi. Um tempo onde os rapazes cortejavam as moças, nas praças, não que eu goste de garotos melosos, aqueles que conversam tanto que te cansam, mas sim daqueles que te fazem rir, que te elogiam na hora certa, aquela quando você está se sentindo a pessoa mais esquisita do mundo, e que ele te diz que você está linda com um sorriso enorme. Admiro sorrisos. Os enormes. Sinceros.

Mas voltando ao assunto das paixões, hoje não se vê um filho dizendo que ama sua mãe mas que está apaixonado pelo seu carro, pelo último game lançado, pelo seu celular última geração. Tudo isso é novo ,a cada dia o mercado lança algo novo que encanta e apaixona as pessoas, e com isso se vê menos amor pessoa-pessoa menos ajuda menos boa vontade menos olhares. Paixões declaradas por casais que se dizem amando-se para a eternidade, e que essa eternidade é na verdade duas semanas, onde aparece um novo amor eterno.

Sei que esse assunto é de certa forma piegas, mas deu vontade de escrever isso,o mundo rápido de hoje me afeta e muito, não sou assim, não cresci assim, tenho medo de ficar pra trás.

segunda-feira, 17 de março de 2008




Queria ser uma estrela para brilhar e lá do céu e com um conjunto de mim, poder guiar os barqueiros perdidos, lá do céu poder tornar inesquecivel a noite dos casais apaixonados que se amam a luz do luar e por que não das estrelas.




Um dia desses vi uma estrela que vagava por entre nuvens e companheiras, aquela que os homens sem sonhos insistem em chamar de cadente, estrela-cadente, que cai, estrela-que-cai, pois para mim ela não cai, ela é uma andarilha dos céus, feliz e livre, encanta quem vê, alimenta os nossos sonhos, ilumina a nossa noite.




Costumo perder hrs admirando as estrelas, ainda que sozinha, alimento o sonho de achar uma metade que goste de estrelas.




"The stars are so beautiful from space


I used to spend hours just lying on a hill looking up


You always did love the sky


A stargazer... that is what you are"


[Desconheço o autor]




sábado, 15 de março de 2008

MEME


éeee ganhei um meme super legal do http://etcdavida.blogspot.com/ .

Brigada meninaaa, adorei.


É o seguinte: Abre o primeiro livro que vir pela frente e copia a quinta frase, lá vai.


" Como as acompanhasse com muita atenção e miudeza, lançando em um livro as observações que fazia, cuidaram que o livro era o registro dos seus pecados, e fortaleceram - se ainda mais na prática das virtudes. "


Machado de Assis

Conto: A sereníssima república ( Conferência do Cônego Vargas )

Livro: 50 contos de Machado de Assis




Então acho que é só isso, estou assim meio vazia meio cheia de tudo.


P.S.: eu indico para o meme o blog http://caldodetipos.blogspot.com/ (Caldo de tipos)

domingo, 9 de março de 2008


Ele vem se aproximando e ela tão embreagada com a magia da noite não percebe seus passos:

- Você gosta de estrelas? Diz ele.

- Gosto de beber estrelas.... - disse olhando a noite - Você gosta?

- Estrelas? Só as mais brilhantes.

- Também sou seletiva, gosto das mais inebriantes.

- Você é inebriante.

-Inebriante. Você.

- Roberto Carlos era inebriante com seu calhambeque. Você me desvia do mundo.

-Eu desvio

...


....



-Que tal as estrelas?

- Que tal você?

-Quero você?

-Quero você.




[Escutando no toca discos marrom Angela Ro Ro]

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Julgamentos.

A cada dia me surpreendo como as pessoas se sentem donas da razão, detentoras dos melhores valores e se esquecem que existem milhares de culturas diferentes, que existem nacionalidades diferentes, cores diferentes, sorrisos diferentes.

Te julgam por não ter um bom emprego, te julgam por não ter uma faculdade de destaque, te julgam porque tem um bom emprego mas não ajudar a familia ( ajudar no caso, sustentar ), te julgam por ter os dois mas está trabalhando em um restaurante simplesmente porque você gosta de cozinhar, mesmo não ganhando bem.

O mundo está assim. Esse caos. Esse processamento de mentes. Tudo porque ninguem está satisfeito com nada. Não estou querendo que as pessoas sejam conformistas, que aceitem tudo, mas sim sejam felizes. Hoje a sociedade nos empurra para um concurso público, para a televisão, para uma universidade contra vontade, só por necessidade de dinheiro-fama-diplona, que no final da vida não vão servir nem como enfeite em quadro bem moldurado.


"Todos tinham desistido de uma vida maior em prol de uma vida mais profunda e machucada. Todos nõ tinham "aproveitado" da vida única que nós temos.Todos tinham sido tolos no sentido mais simples da palavra. E todos haviam sido perpetuados para sempre, para o nosso coração sedento de misericordia. E por que, meu Deus, era tão necessario o sacrificio de nossos desejos mais legitimos? Por que a mortificação em vida?"

[Clarice Lispector - Quase - A descoberta do mundo]

sábado, 23 de fevereiro de 2008

O caminho das coisas.


É assim que vejo a vida hoje: desprovida de lógica, nada de ditados populares que sempre acertarão certo, nada de espontaneidade, nada de ânimo, nada de merda nenhuma (desculpe a palavra).

Tudo que havia planejado desde o fim de ano, a única coisa que ainda não saiu errado foi continuar viva, por que de resto foi tudo com a chuva.

Se isso é bom??

Não sei, ainda estou tentando entender o que aconteceu para se houver como, levantar, continuar, mas agora sem planejar, mesmo que isso seja doloroso.

Há algo mais inútil do que acordar sem saber o que vai fazer? Sem conseguir se levantar da cama cedo por desculpa de não ter o que fazer?

Uma coisa é ter férias, com as férias você tem para onde voltar, você tem algo te esperando. Agora, te puxarem o tapete e te deixarem a mercê do tempo, dos dias, das oportunidades... isso é cruel.



"Será que a sorte virá num realejo?" [ O Teatro Mágico ]

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008


As coisas como são... a chuva como destruidora de encontros ou como purificadora de almas... é tão bom tomar um banho de chuva, sentir se molhar por inteira e sentir o que há de ruim indo embora...Como são as coisas.


Queria as vezes não sentir... mas como não sentir a chuva?? Como não sentir tudo isso??




"Tropeçavas nos astros desastradaSem saber que a ventura e a desventuraDessa estrada que vai do nada ao nadaSão livros e o luar contra a culturaTropeçavas nos astros desastradaSem saber que a ventura e a desventuraDessa estrada que vai do nada ao nadaSão livros e o luar contra a cultura [...]

Tropeçavas nos astros desastradaMas pra mim foste a estrela entre as estrelas"


[Caetano Veloso - Livros.]

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008


Pato Fu - Sorte e Azar


Tudo está
Fora de seu lugar
Já notei
O mundo não foi
Feito pra mim
Vivo só
Pra me arrepender
De eu não ser
Do tipo que diz
Sem querer
O que está fora
De seu lugar
Que você venha pra modificar
Sorte e azar
Vão me disputar
E eu não fui
Capaz de me mover
Daqui até ali


Essa música basta, já diz tudo, sobre mim e sobre tudo eu acho.

Beijos.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008


Eu sempre tento ajudar as pessoas... mesmo sabendo que não vou conseguir... sou péssima para confortar pessoas. Últimamente me sinto mais incapacitada ainda devido a tudo que tenho passado, sem lamúrias, sem tormentos (aqui), mas é como se eu soubesse o que falar mas não soubesse como...

Aliás já repararam que recurso interessante a reticência, ela deixa uma sensação de continuidade, de que quem ler pode escolher o final da frase, do texto, do pensamento... adoro usa-las, dão também idéia de expressividade, de que se tem muito o que falar, mas que o importante já foi dito. Um ponto final não, é duro, seco, curto & grosso. Ponto final. Acabou.



Bom...



Beijosmeliga.

domingo, 3 de fevereiro de 2008


É engraçado como a vida é quando não conseguimos tomar suas rédeas. Eu sou o tipo de pessoa que tem deprê-pós-filme( se é que isso existe), sabe quando você assisti um filme e que tudo dá certo no final... e fico me perguntando: porquê não acontece assim aqui também? Lá dá certo... Eu sei que isso é idiotice mas... Minha mãe sempre falava que a mente vazia é a oficina do mal, mas últimamente não consigo manter a mente preenchida com algo de valor, não que meus pensamentos não tenham valor, ou as vezes não tenham mesmo, mas a questão é que uma hora dessas eu deveria estar me preocupando em estudar para a porra do vestibular, o qual não aguento mais ouvir falar ( acho que tanto tempo frente aos livros me deixou um pouco mais desequilibrada). Parece que tá tudo zoneado na minha mente, é como se um furacão tivesse passado e eu só tivesse me dado conta do estrago agora. Enfim, é duro quando as pessoas desacreditam de você e continuam fingindo que tá tudo bem, se eu ganhasse um real a cada pessoa que me diz: é assim mesmo; não desisite; você tem po-ten-ci-al; você é inteligente; faz um concurso ( essa é a melhor, acho que o mundo muda mas os valores continuam, antes status era ter uma boa fazendo, um bom cargo, conhecer um politico, ser prendada, hoje é passar num concurso público ), mas todos com aquele mesmo olhar de coitada, ela não consegue mesmo.



"Quem conhece Deus
sente as coisas internas
e e amigo dos morangos
que nunca morrem"
[Henrrique do Valle , Os morangos são eternos]

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

"Não estou bem, não estou mal,
o preocupante é que não estou."

(Clarice Lispector)
A vida as vezes nos cobra mais do nos oferece (ou pelo menos pensamos assim), mas na verdade ela não dá ponto sem nó. Cada situação, acretido eu, terá sua importancia no fim...
Um ônibus que você perde, uma chuva que você toma, uma bar que você entra... o importante é se encontrar.