sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Julgamentos.

A cada dia me surpreendo como as pessoas se sentem donas da razão, detentoras dos melhores valores e se esquecem que existem milhares de culturas diferentes, que existem nacionalidades diferentes, cores diferentes, sorrisos diferentes.

Te julgam por não ter um bom emprego, te julgam por não ter uma faculdade de destaque, te julgam porque tem um bom emprego mas não ajudar a familia ( ajudar no caso, sustentar ), te julgam por ter os dois mas está trabalhando em um restaurante simplesmente porque você gosta de cozinhar, mesmo não ganhando bem.

O mundo está assim. Esse caos. Esse processamento de mentes. Tudo porque ninguem está satisfeito com nada. Não estou querendo que as pessoas sejam conformistas, que aceitem tudo, mas sim sejam felizes. Hoje a sociedade nos empurra para um concurso público, para a televisão, para uma universidade contra vontade, só por necessidade de dinheiro-fama-diplona, que no final da vida não vão servir nem como enfeite em quadro bem moldurado.


"Todos tinham desistido de uma vida maior em prol de uma vida mais profunda e machucada. Todos nõ tinham "aproveitado" da vida única que nós temos.Todos tinham sido tolos no sentido mais simples da palavra. E todos haviam sido perpetuados para sempre, para o nosso coração sedento de misericordia. E por que, meu Deus, era tão necessario o sacrificio de nossos desejos mais legitimos? Por que a mortificação em vida?"

[Clarice Lispector - Quase - A descoberta do mundo]

sábado, 23 de fevereiro de 2008

O caminho das coisas.


É assim que vejo a vida hoje: desprovida de lógica, nada de ditados populares que sempre acertarão certo, nada de espontaneidade, nada de ânimo, nada de merda nenhuma (desculpe a palavra).

Tudo que havia planejado desde o fim de ano, a única coisa que ainda não saiu errado foi continuar viva, por que de resto foi tudo com a chuva.

Se isso é bom??

Não sei, ainda estou tentando entender o que aconteceu para se houver como, levantar, continuar, mas agora sem planejar, mesmo que isso seja doloroso.

Há algo mais inútil do que acordar sem saber o que vai fazer? Sem conseguir se levantar da cama cedo por desculpa de não ter o que fazer?

Uma coisa é ter férias, com as férias você tem para onde voltar, você tem algo te esperando. Agora, te puxarem o tapete e te deixarem a mercê do tempo, dos dias, das oportunidades... isso é cruel.



"Será que a sorte virá num realejo?" [ O Teatro Mágico ]

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008


As coisas como são... a chuva como destruidora de encontros ou como purificadora de almas... é tão bom tomar um banho de chuva, sentir se molhar por inteira e sentir o que há de ruim indo embora...Como são as coisas.


Queria as vezes não sentir... mas como não sentir a chuva?? Como não sentir tudo isso??




"Tropeçavas nos astros desastradaSem saber que a ventura e a desventuraDessa estrada que vai do nada ao nadaSão livros e o luar contra a culturaTropeçavas nos astros desastradaSem saber que a ventura e a desventuraDessa estrada que vai do nada ao nadaSão livros e o luar contra a cultura [...]

Tropeçavas nos astros desastradaMas pra mim foste a estrela entre as estrelas"


[Caetano Veloso - Livros.]

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008


Pato Fu - Sorte e Azar


Tudo está
Fora de seu lugar
Já notei
O mundo não foi
Feito pra mim
Vivo só
Pra me arrepender
De eu não ser
Do tipo que diz
Sem querer
O que está fora
De seu lugar
Que você venha pra modificar
Sorte e azar
Vão me disputar
E eu não fui
Capaz de me mover
Daqui até ali


Essa música basta, já diz tudo, sobre mim e sobre tudo eu acho.

Beijos.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008


Eu sempre tento ajudar as pessoas... mesmo sabendo que não vou conseguir... sou péssima para confortar pessoas. Últimamente me sinto mais incapacitada ainda devido a tudo que tenho passado, sem lamúrias, sem tormentos (aqui), mas é como se eu soubesse o que falar mas não soubesse como...

Aliás já repararam que recurso interessante a reticência, ela deixa uma sensação de continuidade, de que quem ler pode escolher o final da frase, do texto, do pensamento... adoro usa-las, dão também idéia de expressividade, de que se tem muito o que falar, mas que o importante já foi dito. Um ponto final não, é duro, seco, curto & grosso. Ponto final. Acabou.



Bom...



Beijosmeliga.

domingo, 3 de fevereiro de 2008


É engraçado como a vida é quando não conseguimos tomar suas rédeas. Eu sou o tipo de pessoa que tem deprê-pós-filme( se é que isso existe), sabe quando você assisti um filme e que tudo dá certo no final... e fico me perguntando: porquê não acontece assim aqui também? Lá dá certo... Eu sei que isso é idiotice mas... Minha mãe sempre falava que a mente vazia é a oficina do mal, mas últimamente não consigo manter a mente preenchida com algo de valor, não que meus pensamentos não tenham valor, ou as vezes não tenham mesmo, mas a questão é que uma hora dessas eu deveria estar me preocupando em estudar para a porra do vestibular, o qual não aguento mais ouvir falar ( acho que tanto tempo frente aos livros me deixou um pouco mais desequilibrada). Parece que tá tudo zoneado na minha mente, é como se um furacão tivesse passado e eu só tivesse me dado conta do estrago agora. Enfim, é duro quando as pessoas desacreditam de você e continuam fingindo que tá tudo bem, se eu ganhasse um real a cada pessoa que me diz: é assim mesmo; não desisite; você tem po-ten-ci-al; você é inteligente; faz um concurso ( essa é a melhor, acho que o mundo muda mas os valores continuam, antes status era ter uma boa fazendo, um bom cargo, conhecer um politico, ser prendada, hoje é passar num concurso público ), mas todos com aquele mesmo olhar de coitada, ela não consegue mesmo.



"Quem conhece Deus
sente as coisas internas
e e amigo dos morangos
que nunca morrem"
[Henrrique do Valle , Os morangos são eternos]