domingo, 27 de abril de 2008

Transfiguração


A paixão é um mar
Parabólica
Dilatada
Estrada que dói
Encanto de flor
Labirinto
Espera de redes
Parece toda raiz
Só raiz
Quando não canto o trovão
Transfiguração
Com a sua pele sagrada
A sua boca sagrada
E a sua vida no chão
Volta que esse mundo só precisa de você
Volta outro homem nunca assim vai te chamar
Não fique ai enterrada
Não fique ai enterrada
Vem pra rua



Cara o Lirinha pra mim é um exemplo de homem com H maiúsculo.
Em 1997 um grupo teatral voltou a atenção para a cidade de Arcoverde. Nascia o espetáculo Cordel do Fogo Encantado, basicamente de poesia onde a música ocuparia um espaço de ligação entre essa poesia. Começou em um ambiente de Teatro e as pessoas envolvidas eram relacionadas ao teatro. Na formação, José Paes de Lira, Clayton Barros e Emerson Calado. Por dois anos, o espetáculo, sucesso de público, percorreu o interior do estado.
O que eu mais gosto nas músicas do cordel é que eles retratam a realidade, a história do nordeste mas não com dó, com sofrimento, mas com poesia, com garra e não só o nordeste mas o ser humano.
Os shows são ótimos, já tive oportunidade de ir em dois, são cheios de interpretação e emoção, eles não fazem um simples playback pra ganhar dinheiro, mas cantam com a intenção de transmitir a idéia deles.


[Seção indique um artista]

Como estou sem tempo para por aqui o que se passa comigo estou colocando músicas, que resumem o que sinto e melhor talvez.


p.s.: agradeçoooo os selos que ganhei de uma minininha muito especial e mando eles para outra tão especial quanto... minha primitcha Ádlla.

sábado, 26 de abril de 2008


"O charme sedutor do cantor francês Serge Gainsbourg, a descrição dos sentimentos femininos por Chico Buarque e a sensualidade dos desenhos do brasileiro Carlos Zéfiro e do italiano Milo Manara já serviram de inspiração para muita gente.

Mas essas referências nunca haviam sido reunidas e transformadas em música, o que acontece agora com “Na Confraria das Sedutoras”, disco do 3namassa, projeto paralelo formado pelo programador Rica Amabis, do núcleo Instituto, e pelo baixista Dengue e pelo baterista e percussionista Pupillo, ambos da Nação Zumbi.

O trio convidou compositores amigos para escreverem canções sob o ponto de vista feminino, lição ensinada pelo mestre Chico Buarque. Depois, escalou um time inquestionável de cantoras e atrizes da nova geração para darem alma, coração e voz às composições. "





[Gazeta online]



Tô organizando minha vida, mas enquanto isso conheci esse som ai, e podem baixar é muito bom, recomendo.
p.s.: escutem a música de nome "estrondo" =]


Beijos a todos.

domingo, 20 de abril de 2008


As mudanças ocorrem sem que percebamos, uma chuva, um raio de sol, uma palavra dita na hora errada, podem mudar as coisas de um modo tão repentino, que o que parecia ruim agora se torna insuportável. Uma vez li em algum lugar, não me lembro se foi Machado ou Cecilia, que devemos nos guardar no silêncio, devemos medir o que vamos falar não para não machucar os outros mas para não nos machucarmos.


Me machuquei.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

"Tempo tempo mano velho"


Pois é, exatos 10 dias sem postar aqui, entre uma correria e outra eu passo aqui dou uma olhadinha nos comentários e vou embora. Minha rotina, se é que pode se chamar isso de uma rotina está cada vez mais intensa, brutal, realmente punk. [¬¬]

Acordo às 5:15 da manhã-escova-de-dentes-café-correr-parada-ônibus-lotado-por-uma hora-cursinho-física-matemática-literatura-história-café-guaraná-em-pó-almoço [nas profundezas de um prédio conhecido popularmente como ratão]-monitoria-livros-contas-calculadora-café-ônibus-lotado-faculdade-jaleco-plantas-professor-insurpotável-café-van, em casa por volta de 12:00 p.m. tão moida, triturada que mal consigo durmir.

Assim eu vou levando a vida e a vida me levando, nos embalos de ônibus lotados e sonhos com algo melhor.

Graças a Deus ao menos tenho meu mp3 de péssima qualidade e pilha viciada para me distrair, o que seria de mim se não fosse a nossa querida música, entre Cazuza, engenheiros, chico, cartola, céu, pato fu, los hermanos, teatro mágico e tudo q caiba naquele aparelho eu vou voltando a ter paz, distraindo e esquecendo dessas coisas...

E para finalizar uma música que diz bem o q eu penso, apesar de tudo isso me orhulho disso tudo que eu to fazendo e que mesmo sendo tão sofrido e abrindo mão das coisas que eu gosto, um dia eu vou ter uma bela história pra contar pros meus filhos, vou lhes dizer que o sofrimento, a luta e as aventuras são os temperos que deixam a vida muuuuito mais saborosa! ;)
"Seria mais fácil fazer como todo mundo faz
o caminho mais curto, produto que rende mais
seria mais fácil fazer como todo mundo faz
um tiro certeiro, modelo que vende mais

Mas nós dançamos no silêncio
choramos no carnaval
não vemos graça nas gracinhas da TV
morremos de rir no horário eleitoral

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz
sem sair do sofá, deixar a Ferrari pra trás
seria mais fácil como todo mundo faz
o milésimo gol sentado na mesa de um bar

Mas nós vibramos em outra freqüência
sabemos que não é bem assim
se fosse fácil achar o caminho das pedras
tantas pedras no caminho não seria ruim

Mas nós vibramos em outra freqüência
sabemos que não é bem assim
se fosse fácil achar o caminho das pedras
tantas pedras no caminho não seria ruim

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz"
[Engenheiros do Hawaii-Outras Frequências]

domingo, 6 de abril de 2008


Como pode a vida de uma pessoa se tornar tão invisível, tão submissa ao ponto de tudo irritar, tudo se tornar um tédio. São os acontecimentos que nos marcam pra melhor ou pra pior (no meu caso geralmente pra pior). Estou com quatro cursos puxados durante todos os dias, não tenho nem cinco minutos pra fazer as coisas que eu realmente gosto, não tenho tempo de ver nem meus pais direito quiçá meus amigos. Cada dia parece voar quando vejo datas, mas parece uma eternidade quando penso que isso tudo tá longe de acabar. Tudo isso pra ser decidido em um dia, uma tarde, cinco horas que vão determinar se eu vou continuar nessa vida frustrada, de-novo-novamente-mais-uma-vez perdida, sem reação ou se eu vou ser uma nova pessoa, com novos ideais, novos sonhos, novos amigos (e tempo para os velhos), tudo novo...
Meu pai disse que nada na vida vem fácil, exceto pra filho de político, minha mãe disse que eu sou forte e que eu vou conseguir.
Enquanto isso eu venho aqui me lamentar nesse blog... enquanto as coisas teimão em não se encaixar, e o mundo continua assim de cabeça pra baixo.

terça-feira, 1 de abril de 2008


Figura autoexplicativa.
Sentimento de inutilidade, de vazio, de descrença.