quarta-feira, 28 de maio de 2008

Me lembro.


Me lembro de quando passavamos hoooras, eu e meus primos, procurando uma joaninha no canteiro da casa da vovó, quando achavamos uma, o que faziamos?Arrancavamos as suas asas! Não... não eramos ruins, eramos crianças e a única coisa que importava era ter uma joaninha para brincar.
Pois é... e hoje sou aspirante à bióloga!

terça-feira, 20 de maio de 2008

O ímpar


Pois é... abondono total do blog esses dias. Infelizmente.
Não aconteceu muita coisa nova esses dias, só meus pensamentos, quando não consigo estudar no ônibus por qualquer motivo que seja, que se sentem livres e até eu me impressiono com o que eu imagino... é engraçado quando me destraio muito tempo penssando assim e chego a coisas inimagináveis por qualquer pessoa normal eu paro, olho para todos os lados, escolho uma pessoa com cara de suspeito, de sério, cético, que por acaso, também "está longe" e penso: eita! mas e se ele podesse ler meus pensamentos? e se ele conseguiu captar o que eu imaginei agora? Aí caio na vidinha normal onde as pessoas não podem fazer essas coisas, encosto a cabeça no vidro e volto a me deliciar nos meus pensamentos, principalmente naqueles em que eu crio minha história.

Acho que eu tô ficando obcecada por ônibus, esse já deve ser o terceiro post seguido em que o assunto gira em torno disso ( ahauauha ), tudo bem! Mas só para deixar claro uma coisa que eu percebi: essa coisa de quem não bebe não tem história para contar... isso é passado. O negócio agora é: quem não anda de ônibus não tem história para contar. ( ahuahauahuaha). Eu poderia passar hoooras aqui falando disso, até pq me divirto com essas coisas mas o tempo não me permite e acho também que ninguém iria gostar de ficar lendo isso, mas só para deixar registrado ^^ : Hoje descobri no ônibus, conversando com uma mulher que talvez nunca mais encontre, que posso entrar no zoo aqui da cidade de graça apresentando minha carteirinha de cursanda de biologia, isso é legal... então... biólogos de Brasília não sei se isso é verdade mas vamos lá confirmar??? aahuahaa

Depois do vestibular irei... se até lá não desistir da minha profissão claro. E também não posso me dar ao luxo de uma aula de campo autônoma em pleno pré - pré - pré vestibular.

Então... é assim...
Beijoooos a todos e obrigada pelos comentários do post anterior.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Sem título.


Pois é... eu achava que estava sem tempo. Mas agora? Agora nem sei o que é respirar! Estou enlouquecendo literalmente. Vocês sabem o que é dormir duas horas por noite ou por dia? Eu estou acordada (ou parcialmente acordada por meios nem tão saudavéis assim) 22 horas do dia.
O pior é que não vejo saída disso por pelo menos nos três meses seguintes. Eu tento fazer as coisas ficarem bem, tento fingir que está tudo bem, mas a verdade é que eu to com vontade de jogar tudo pra cima e viver mediocremente sustentada pelos meus pais até eu conseguir casar e daí viver mediocremente sustenda pelo futuro marido, que também não será lá um exemplo de homem.
Então... mudando de assunto, mas nem tanto, daqui alguns dias completarei anos, isso mesmo, ficarei mais velha e isso pesa muito sobre minhas costas apesar de soar absurdo.
Aos quinze anos de idade eu "imaginava" que com dezoito anos eu estaria com um carro (ou pelo menos a carteira) nas mãos, estaria fazendo a faculdade que gosto, trabalhando no que gosto, em um ambiente legal, teria como sair com meus amigos e inumeras outras coisas dentre elas uma viagem quem sabe?
Mas agora me vejo com quase dezenove anos completos e não tenho nada do que eu planejei ter aos dezoito. Não tenho carteira de motorista, pois o dinheiro foi usado para mais um cursinho, não estou na faculdade em que sonhei, não estou trabalhando, e a única viagem é a de 1:30 hr que faço todos os dias até onde faço um de meus cursos, sem falar nos outros três.

Isso soa melancólico ou como diria uma amiga minha: melodramático demais.
Bom é isso...pelo menos por enquanto.. até daqui a alguns dias quando "fugirei" tirando alguns minutos das minhas duas horas de sono para vir aqui.

Beijos.

Só pra constar: música de Cartola cantada por Cazuza, se não me engano já a postei aqui, se sim relembrem, se não apreciem.

O Mundo é Um Moinho
(Cartola)

Ainda é cedo amor.
Mal começaste a conhecer a vida.
Já anuncias a hora da partida.
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar.
Presta atenção querida, embora eu saiba que estas resolvida.
Em cada esquina cai um pouco a tua vida.
Em pouco tempo não serás mais o que és.
Ouça-me bem amor.
Preste atenção, o mundo é um moinho.
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos.
Vai reduzir as ilusões a pó.
Preste atenção querida.
Em cada amor tu herdarás só o cinismo.
Quando notares estás à beira do abismo.
Abismo que cavastes com teus pés.