sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Julgamentos.

A cada dia me surpreendo como as pessoas se sentem donas da razão, detentoras dos melhores valores e se esquecem que existem milhares de culturas diferentes, que existem nacionalidades diferentes, cores diferentes, sorrisos diferentes.

Te julgam por não ter um bom emprego, te julgam por não ter uma faculdade de destaque, te julgam porque tem um bom emprego mas não ajudar a familia ( ajudar no caso, sustentar ), te julgam por ter os dois mas está trabalhando em um restaurante simplesmente porque você gosta de cozinhar, mesmo não ganhando bem.

O mundo está assim. Esse caos. Esse processamento de mentes. Tudo porque ninguem está satisfeito com nada. Não estou querendo que as pessoas sejam conformistas, que aceitem tudo, mas sim sejam felizes. Hoje a sociedade nos empurra para um concurso público, para a televisão, para uma universidade contra vontade, só por necessidade de dinheiro-fama-diplona, que no final da vida não vão servir nem como enfeite em quadro bem moldurado.


"Todos tinham desistido de uma vida maior em prol de uma vida mais profunda e machucada. Todos nõ tinham "aproveitado" da vida única que nós temos.Todos tinham sido tolos no sentido mais simples da palavra. E todos haviam sido perpetuados para sempre, para o nosso coração sedento de misericordia. E por que, meu Deus, era tão necessario o sacrificio de nossos desejos mais legitimos? Por que a mortificação em vida?"

[Clarice Lispector - Quase - A descoberta do mundo]