sexta-feira, 21 de março de 2008

Paixões relativas.


"A única diferença entre um capricho e uma paixão eterna

é que o capricho dura um pouco mais..."


[Oscar Wilde]


Estava pensando esses dias como as coisas são "tão pra sempre hoje em dia", mas que esse pra sempre dura apenas um ano, um mês, um dia, um minuto, quem sabe até um segundo.

O mundo anda tão rápido, as pessoas não tem mais tempo de se conhecerem, de terem uma boa conversa, de perder tempo fazendo algo que lhes dão prazer.

Tudo é tão efêmero, tão...tão sem sentido.

Acho as vezes que eu parei no tempo, em um tempo que eu nem vivi. Um tempo onde os rapazes cortejavam as moças, nas praças, não que eu goste de garotos melosos, aqueles que conversam tanto que te cansam, mas sim daqueles que te fazem rir, que te elogiam na hora certa, aquela quando você está se sentindo a pessoa mais esquisita do mundo, e que ele te diz que você está linda com um sorriso enorme. Admiro sorrisos. Os enormes. Sinceros.

Mas voltando ao assunto das paixões, hoje não se vê um filho dizendo que ama sua mãe mas que está apaixonado pelo seu carro, pelo último game lançado, pelo seu celular última geração. Tudo isso é novo ,a cada dia o mercado lança algo novo que encanta e apaixona as pessoas, e com isso se vê menos amor pessoa-pessoa menos ajuda menos boa vontade menos olhares. Paixões declaradas por casais que se dizem amando-se para a eternidade, e que essa eternidade é na verdade duas semanas, onde aparece um novo amor eterno.

Sei que esse assunto é de certa forma piegas, mas deu vontade de escrever isso,o mundo rápido de hoje me afeta e muito, não sou assim, não cresci assim, tenho medo de ficar pra trás.