terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Bom, eu sei que esse papo de voltar a escrever aqui é velho e que eu nunca consigo cumprir, mas hoje foi diferente =] eu estava lendo minha revista [ Bravo! ] e me dei conta que meu blog estava abandonado, que eu estava sempre com vontade de escrever, de ouvir opiniões dos outros sobre as minhas próprias, mas eu nunca conseguia tempo pra isso, então aqui estou eu.
Bom resumindo o tempo que fiquei fora, fiz uma viagem grande para o nordeste [ Paraíba ], visitei familiares, fiquei muuuuito tempo off, fui a praia, fiz o que me deu na telha [ como se eu não fizesse aqui ], fiz amigos, troquei experiências, foi muito bom.
Enfim, hoje, aqui, eu não queria falar muito de mim, e sim de uma ideia que me subiu a cabeça.

Há alguns meses alguns amigos montaram um grupo de humanização em um hospital público de onde moro, uma atitude linda, vinda de pessoas que estavam preocupadas com o mundo ao seu redor. Uma amiga sempre me convidava para participar, mas devido a falta de tempo eu sempre recusava, até que um dia ela colocou meu nome na lista de visitantes de um grupo de doutores palhaços, ainda pouco organizado mas com muito amor. Eu fui, fui como visitante, e adorei, achei lindo o interesse e o bem que aqueles poucos minutos ao lado de pessoas que estavam ali doentes, esperando um atendimento nem sempre satisfatório, faziam aquela espera muito menos dolorida, com perdão do trocadilho. Bom eu me apaixonei pela ideia, e mesmo sem poder fazer muito continuei participando, indo as visitas agora como Dr. Mimosa.

As pessoas que participam desse projeto não têm nenhum curso de teatro, medicina ou algo relacionado com médicos/palhaços, somos na maioria amigos que tem algo em comum, vontade de ajudar alguém, nós somos professores, biólogos, assistentes, estudantes,entre outras profissões, apenas isso.

Com o passar do tempo o grupo se organizou, e graças as lutas dos nossos coordenadores, e mesmo que com trabalho em grupo, uma se destacou, o grupo hoje não é mais formado por visitantes e se tornou um grupo de trabalho de humanização do Hospital Regional do Gama.

Por que eu tô falando tudo isso? Por que muitas pessoas não entendem quando eu abro mão daquele churrasco de amigos, em um domingo ensolarado, ou de uma caminhada, ou um cinema, qualquer coisa, para ir ao hospital me pintar de palhaça e brincar com desconhecidos.
Mas eu acho, particularmente, que isso me completa, me faz crescer como pessoa. E é como dizemos dentro do grupo, nós nos divertimos mais do que as crianças com quem brincamos durante a visita.
Então, mesmo sem mencionar nomes, eu queria agradecer àqueles responsáveis por a cada domingo me tornarem um ser humano melhor, mesmo que eles nunca vejam isso.

Bom e essa sou como Dr. Mimosa, besteirologista.